sexta-feira, 25 de julho de 2014

DUAS COISAS SOBRE ISRAEL - PAULO CILAS


                            


          Frente aos últimos acontecimentos na faixa de Gaza sinto a necessidade de falar um pouco sobre Israel aos olhos do mundo. Claro que não posso ter a pretensão de ser definitivo  e também achar que tenho todos os argumentos, mas contudo vou pontuar  pelo menos duas coisas:

1 - Israel biblicamente falando . Dentro do plano de Deus Israel foi relevante porque dele saíram as leis e os profetas que mantiveram a revelação em evidência. Sendo que as  "leis de Moisés" até hoje influenciam praticamente o mundo todo. 
Entretanto, do próprio Senhor vêm palavras duras contra Israel: Povo de dura cerviz, que busca outros deuses, rebelde. E a principal palavra, descrita por João: “Veio para os que eram seus( Israel), mas os seus não o receberam”, ou seja, Israel rejeitou a Jesus. Simplesmente a Jesus. E as consequências de todo esse descaso passam pelo cativeiro a partir do império assírio vindo a seguir o Babilônico, o Medo-persa, Greco-macedônico e o Romano. Isso do tempo antigo até Cristo. Já depois de Cristo esse povo sofreu o terrível cerco no ano 70 dC  sendo espalhado pelo mundo todo e vindo a sofrer no holocausto( segunda guerra) a mais infame das perseguições. "Caia sobre nós e sobre nossos filhos o sangue dele, Jesus!" Parafraseando Chicó - personagem de Ariano Suassuna: "Ôh palavrinha mais sem jeito".
         Desta maneira é até risível que crentes busquem nos rituais judaicos (dos quais a própria bíblia diz que eram apenas sombras do que haveria de vir - Jesus -  e totalmente falíveis Hb.8,9,10) pretensas espiritualidades que lamentavelmente têm tomado lugar em muitas de nossas igrejas. Quem não já viu símbolos judaicos, bandeiras e afins em nossos templos? E os rituais que já não fazem mais sentido em Cristo. E ainda há os que fazem de viagens a Israel algo místico como se lá houvesse mais de Deus do que em outro lugar. 
De fato, conhecer Israel deve ser desejável e emocionante, mas somente pelo teor histórico, geográfico e arqueológico.
2º -  Por outro lado devemos estar atentos à distorção da historia, principalmente patrocinada e mantida por partidos de extrema esquerda, como alguma corrente hoje no Brasil, com viés ateísta do mundo todo. Tais correntes demonizam o estado de Israel e colocam os palestinos como vítimas ( sabemos que sempre há vítimas inocentes em qualquer guerra e em todos os lados). Usam ainda o argumento que o “império americano” está por trás também de tamanha” injustiça”.  Só que a realidade da história é bem outra. Com exceções, a maioria dos vizinhos de Israel não quer a existência dele. Mesmo o retorno do Estado de Israel se dando de maneira legítima - aquela região, depois de Cristo, sempre foi alvo de disputas  ao longo dos séculos por parte de romanos, otomanos, britânicos - através da ONU, para muitos, Israel não tem direito algum. Há ainda que se afirmar que o território onde os judeus se assentaram era inóspito e se tornou um verdadeiro oásis exclusivamente pelo  esforço judeu . Há ainda o fato de que muitas áreas foram compradas legalmente por judeus. 
Percebo claramente que muitos jornalistas e governos ignoram que grupos como Hamas e Hezbollah têm ódio mortal a Israel. Tanto que em suas escolas as crianças são doutrinadas desde pequenas a terem e manterem tal ódio mortal. E mais, elas são usadas, juntamente demais civis, como escudos humanos . Assim Israel é atacado covarde e sistematicamente desde seu retorno como nação.  E se revida, como acontece agora, ai sim, faz covardia. Pelo menos algumas pessoas têm notado isso. Como um que que publicou que: "Enquanto Israel defende seu povo com suas armas, o Hamas defende suas armas com o seu povo".
  Algumas pretensas propostas de paz do lado de palestinos e simpatizantes na verdade são simplesmente estratégia para dizimar totalmente a civilização judaica. Como, por exemplo, a proposta, já de décadas, para que Israel permita em seu território  uma população palestina árabe em número muito superior à do próprio Israel. Ou seja, a influência "pacificamente" seria total do povo que odeia a nação judaica.
  Em tempo devo dizer que não concordo com todas as ações de Israel. Mas também preciso afirmar que mesmo eles tendo sido infiéis, Deus permanece fiel. E é por isso que esse povo sobreviveu a tudo e a todos, incluindo a ele mesmo em sua cegueira.
   Agora, é inevitável também pensar no cumprimento de toda profecia bíblica que tem Israel como centro dos dias finais aqui na terra.

CINCO DEDOS

Esta é uma analogia na qual vamos comparar cada dedo das mãos com cinco personagens bíblicos que estiveram com Jesus, receberam mensagem ...