segunda-feira, 19 de novembro de 2012

OS DOIS LUGARES DE DEUS - PAULO CILAS

Is 57.15 “Porque assim diz o Alto e o Excelso, que habita na eternidade e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito, e também com o contrito e humilde de espírito, para vivificar o espírito dos humildes, e para vivificar o coração dos contritos.” Nada do que façamos: templos, músicas, instrumentos, reuniões, programas, nada, absolutamente nada, chega aos pés do que o Senhor já tem. Um lugar Alto e Sublime! Está escrito que nesse lugar há um rio de águas cristalinas cujas correntes alegram a cidade de Deus, o Santuário das moradas do Altíssimo (Sl 46.4). Na parte final do livro de Jó O Senhor pergunta onde estava Jó quando as estrelas da alva cantavam alegremente e todos os filhos de Deus rejubilavam? Que coral humano por mais competente que fosse substituiria isto? Então a conclusão óbvia é que por mais que o homem se esforce não conseguirá fazer nada que Deus já não tenha em maior e em melhor tamanho. Deus continua morando no seu Alto e Sublime lugar, a grandeza do homem não o impressiona, pois Ele sequer habita em templo feito por mãos humanas At.7:48. Porém há possibilidade de uma segunda moradia de Deus. É como se Deus saísse do seu lugar, da Sua moradia e fosse para outro ambiente. Este lugar é o coração quebrantado do homem humilde. Eis o segundo lugar de Deus. Quando Jesus vem anunciar a salvação Ele estabelece a teologia da toalha e da bacia isto é, do servir, do maior como o menor. Ele prega não a guerra, o combate e a força, mas, sim, a graça e a misericórdia, o perdão e a simplicidade das crianças. Para nós, como igreja, sermos essa segunda moradia de Deus precisamos entender plenamente isso. E entender isso não tem sido fácil, haja vista o complexo de superioridade que tem tomado conta da Igreja que tem sido “chamada” de Cristo. Os brados de vitória, conquistas, domínios e suntuosidades de templos e pessoas têm tomado lugar da modéstia dos joelhos dobrados. Muitas vezes há muitos risos e poucas lágrimas, muitas determinações e poucas convicções, muitos lideres e poucos servos, muitos maiores e poucos menores. É o homem tentando fazer algo grande ignorando que jamais chegará ao que Deus já tenha. Ouço do Pr. Ed René Kivitz uma frase: “A igreja não é de cetros e espadas e sim de bacias e toalhas”! Precisamos dar ouvidos ao que Jesus disse a Pedro: Guarda a tua espada porque se eu quisesse viriam 12 legiões de anjos. Portando você quer que Deus deixe o seu trono e venha até você? Ofereça então um ótimo lugar, que será sempre o coração quebrantado, abatido (contrito) daquele que somente espera no Senhor.

CINCO DEDOS

Esta é uma analogia na qual vamos comparar cada dedo das mãos com cinco personagens bíblicos que estiveram com Jesus, receberam mensagem ...